terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Balanço comercial fecha com superávit

Balanço comercial fecha 2009 com superávit de US$ 24,6 bi, o menor desde 2002A balança comercial do Brasil encerrou 2009 com saldo positivo de US$ 24,615 bilhões, resultado de US$ 152,25 bilhões exportados e US$ 127,63 bilhões importados. O resultado é inferior em 1,4% ao superávit de US$ 24,745 bilhões registrado no ano passado e é o pior desempenho desde 2002, quando o país registrou saldo comercial positivo de US$ 13,1 bilhões. Segundo o ministério do Desenvolvimento, a corrente de comércio (soma das exportações com as importações), totalizou US$ 279, 889 bilhões em 2009, número 24,5% menor que os US$ 370,928 bilhões registrados em 2008. Somente em dezembro, a balança comercial registrou superávit de US$ 1,435 bilhões, após exportações de US$ 13,720 bilhões e importações de US$ 12,285 bilhões. Em dezembro de 2008, o saldo comercial havia ficado positivo em US$ 2,315 bilhões.


Em dezembro de 2008, o saldo comercial havia ficado positivo em US$ 2,315 bilhões.

Disponível em: http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2010/01/04/balanca-comercial-fecha-2009-com-superavit-de-us-246-bi-o-menor-desde-2002.jhtm

Brasil elevou mais reservas que os outros países do Bric

Entre os grandes países emergentes, o Brasil foi o que mais aumentou proporcionalmente as reservas internacionais desde a melhora das condições econômicas após a crise. Levantamento feito pela Agência Estado, com base nos dados disponíveis, revela que as reservas brasileiras cresceram 23,4% nos últimos 12 meses, desempenho superior ao de Rússia, Índia e China.

De acordo com dados divulgados pelo Banco Central (BC), as reservas brasileiras terminaram o ano passado em US$ 239 bilhões, muito próximas do recorde histórico de US$ 239,4 bilhões de 2 de dezembro.

No decorrer de 2009, as reservas aumentaram US$ 45,2 bilhões. Elas avançaram pelo nono ano consecutivo, no maior período de expansão ininterrupta desde o início da série, em 1957.

Em termos proporcionais, o desempenho do Brasil superou o de outros grandes emergentes. Na China, as reservas avançaram 19,3% nos 12 meses até setembro, apontam os dados disponíveis mais recentes. Apesar de a taxa de crescimento brasileiro ser maior, a expansão chinesa em dólares é quase dez vezes maior que a do Brasil: US$ 366,9 bilhões, cifra maior que o total das reservas nacionais. No fim de setembro, a China tinha US$ 2,27 trilhões em reservas.


Na Índia, o volume aumentou 12,5% em 12 meses até outubro, para US$ 284,3 bilhões. Na Rússia, a trajetória foi oposta e o montante caiu 10,4% em 12 meses até outubro, para US$ 434,4 bilhões.

O aumento das reservas brasileiras coincide com a retomada da estratégia do BC de comprar dólares no mercado à vista. Em maio, após o período mais crítico da crise financeira e com a volta do fluxo de moeda estrangeira para o País, o BC voltou a realizar compras diárias.

Desde então, já foram adquiridos US$ 26,9 bilhões. Além disso, os ativos que compõem as reservas, como os títulos da dívida dos Estados Unidos, tiveram valorização e pagaram juros, o que também aumenta a soma desse montante.

Economistas questionam o custo dessa ação. Para comprar dólares, o BC capta reais com títulos que pagam juro de 8,75% ao ano. Boa parte das reservas é mantida em títulos do governo dos EUA, que pagam juro que varia entre 0 e 0,25% ao ano. A diferença entre as duas taxas é bancada pelo governo.

disponível: http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2010/01/05/brasil+elevou+mais+reservas+que+os+outros+paises+do+bric+9262953.html

Espanha, desemprego, 25% a mais em 2009

Madri, 5 jan (EFE).- O desemprego na Espanha em dezembro de 2009 aumentou em 54.657 pessoas em comparação com os números de novembro, fazendo com que o total de desempregados chegasse a 3.923.603, no fechamento do ano, o que supõe um recorde histórico e 794.640 desempregados a mais que um ano antes, aumento de 25,4%.

No entanto, segundo dados divulgados pelo Ministério espanhol de Trabalho e Imigração, embora se trate do quinto mês consecutivo de aumento do desemprego, a alta de dezembro é muito menor que a do mesmo mês de 2008, quando houve 139.694 desempregados a mais.

Os números em dezembro de 2009 subiram especialmente na construção, com 54.936 pessoas (7,56%), seguido pela indústria, com 11.477 (2,31%), e serviços, com 202 (0,01%).

Disponível em: http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2010/01/05/espanha-fecha-2009-com-quase-4-milhoes-de-desempregados-25-mais-que-em-2008.jhtm

Reservas internacionais crescem

SÃO PAULO - As reservas internacionais brasileiras encerraram o ano de 2009 em US$ 239,054 bilhões, de acordo com os dados divulgados pelo Banco Central. Foi um aumento de US$ 32,248 bilhões em relação à posição do fim de 2008, que era de US$ 206,806 bilhões.

Para esse crescimento, contribuíram as compras de dólares no mercado à vista feitas pelo Banco Central em seus leilões diários. Em janeiro e fevereiro, o BC vendeu US$ 3,44 bilhões das reservas, para impedir uma disparada das cotações no momento em que a crise financeira internacional aumentou a demanda por moeda estrangeira. A partir de maio, contudo, a autoridade monetária voltou às compras e, até o dia 24 de dezembro - último dado disponível no momento - havia enxugado do mercado US$ 26,919 bilhões. Com isso, a entrada líquida de dólares nas reservas provenientes das intervenções do BC no mercado à vista foi de US$ 23,479 bilhões.

Adapitado: http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/valor/2010/01/04/reservas-internacionais-crescem-em-us-322-bilhoes-em-2009.jhtm

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

A (H1N1) ETIOLOGIA E DISSIMINAÇÃO

video

DICAS SOBRE INFLUENZA AH1N1

video

GRIPE SUINA (CUIDADOS)

video

Espanha assume presidência da UE no lugar da Suécia

MADRI - A Espanha assumiu hoje a presidência rotativa de União Europeia (UE), no lugar da Suécia. O primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, disse que o país vai lutar para encerrar a crise econômica na Europa. Suas declarações foram postadas em um vídeo no site que o governo espanhol criou para divulgar sua presidência no bloco.

Zapatero afirmou que, sob o novo Tratado de Lisboa - que entrou em vigor em 1º de dezembro de 2009 -, os 27 membros da União Europeia precisam trabalhar para afirmar seu espaço no palco global. Um dos principais objetivos do Tratado de Lisboa é aperfeiçoar os procedimentos de tomada de decisão para que o bloco possa agir mais rapidamente.

O novo tratado também criou o posto de presidente em tempo integral da UE, para o qual foi nomeado Herman Van Rompuy, da Bélgica, e nomeou como chefe da política externa a britânica Catherine Ashton. Pelo Tratado de Lisboa, Rompuy, Ashton e José Manuel Barroso, o presidente da Comissão Europeia, serão a face pública da UE.

A Espanha vai chefiar reuniões ministeriais sobre economia, meio ambiente e energia durante sua presidência. Ela também servirá de sede a várias cúpulas, incluindo uma entre o bloco e os Estados Unidos em maio, que deverá ter a participação do presidente norte-americano Barack Obama.

"Precisamos tornar a Europa um fator mais forte no contexto internacional; uma Europa que defenda e estenda os valores da paz, cooperação e diálogo entre todos os povos e nações", disse Zapatero no vídeo.

A Espanha tem uma das maiores taxas de desemprego da União Europeia, atualmente em 17,9% da força de trabalho e o dobro da média do bloco. Enquanto países como a Alemanha e a França conseguiram sair da recessão no segundo semestre do ano passado, a Espanha reconhece que ficou para trás e não verá a criação de novos empregos até o final deste ano.

A Espanha teve um forte crescimento econômico durante uma década até 2008, quando estourou a bolha do mercado imobiliário e da construção civil, que havia sido o motor da expansão.

Disponível em: http://www.estadao.com.br/internacional/not_int489473,0.htm

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Fauna Brasileira

A preservação da natureza está diretamente ligada à biodiversidade que descreve a riqueza e variedade do mundo natural. O homem não poderia sobreviver sem a biodiversidade. Os animais alimentos, remédios e boa parte da matéria-prima industrial consumidos diariamente, por exemplo, nos dão a carne, o couro e a insulina.
O termo biodiversidade deve ser considerado em dois níveis diferentes: todas as formas de vida, assim como os genes contidos em cada indivíduo, e as inter-relações, ou ecossistemas, na qual a existência de uma espécie afeta diretamente muitas outras. Os excrementos de um animal podem servir de alimento para outros e fertilizar o solo ajudando no crescimento das plantas.
Se o homem não tomar uma providência séria e rápida a respeito da preservação da natureza dentro de uns 15 anos mais ou menos, muitas espécies irão se estinguir, e acarretará um desequilíbrio ambiental .
A lista nacional das espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção é um instrumento de conservação da biodiversidade do governo brasileiro, onde são apontadas as espécies que, de alguma forma, estão ameaçadas quanto à sua existência.
Segundo a Lei de Fauna, Lei 5.197/67 proporcionou medidas de proteção e, com o advento da Constituição Brasileira de 1988, o protecionismo à fauna ficou bastante fortalecido tendo em vista o teor do seu Art. 225, assim descrito: "Proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da Lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção das espécies ou submetam os animais a crueldade".
Esta Lei elimina a caça profissional e o comércio deliberado de espécies da fauna brasileira. Por outro lado, faculta a prática da caça amadorista, considerada como uma estratégia de manejo e, sobretudo estimula a construção de criadouros destinados à criação de animais silvestres para fins econômicos e industriais.
Existem cerca de 460 espécies de mamíferos brasileiros conhecidas até hoje, destas, cerca de 130 vivem na Mata Atlântica. No entanto, 50 delas existem somente ali. Ou seja, são endêmicas da Mata Atlântica. O Brasil é o terceiro país do mundo mais rico em mamíferos, perdendo apenas para a Indonésia e o México. Há cerca de 58 espécies de mamíferos brasileiros ameaçadas e 14 delas estão na Mata Atlântica.

Retirado de: http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/infantil/fauna.htm

Biodiversidade

Pode ser definida como a variedade e a variabilidade existente entre os organismos vivos e as complexidades ecológicas nas quais elas ocorrem. Ela pode ser entendida como uma associação de vários componentes hierárquicos: ecossistema, comunidade, espécies, populações e genes em uma área definida. A biodiversidade varia com as diferentes regiões ecológicas, sendo maior nas regiões tropicais do que nos climas temperados.

Diversidade biológica
significa a variabilidade de organismos vivos de todas as origens, compreendendo, dentre outros, os ecossistemas terrestres, marinhos e outros ecossistemas aquáticos e os complexos ecológicos de que fazem parte; compreendendo ainda a diversidade dentro de espécies, entre espécies e de ecossistemas. (Artigo 2 da Convenção sobre Diversidade Biológica)

Mais claramente falando, diversidade biológica, ou biodiversidade, refere-se à variedade de vida no planeta terra, incluindo a variedade genética dentro das populações e espécies, a variedade de espécies da flora, da fauna e de microrganismos, a variedade de funções ecológicas desempenhadas pelos organismos nos ecossistemas; e a variedade de comunidades, hábitats e ecossistemas formados pelos organismos. Biodiversidade refere-se tanto ao número (riqueza) de diferentes categorias biológicas quanto à abundância relativa (equitabilidade) dessas categorias; e inclui variabilidade ao nível local (alfa diversidade), complementaridade biológica entre hábitats (beta diversidade) e variabilidade entre paisagens (gama diversidade). Biodiversidade inclui, assim, a totalidade dos recursos vivos, ou biológicos, e dos recursos genéticos, e seus componentes.